sábado, 7 de novembro de 2009

A Gênesis do Mercado da Salvação

Não são poucos os estilistas que buscam na religião inspiração para as suas coleções. A moda deixa de ser futilidade e expressa, através de seus símbolos, a necessidade das pessoas de se espiritualizar.

A Fé - Não importa a religião: católica, protestante, islâmica, judaica ou budista, todas oferecem proteção. E é por isso que as mulheres exibem sua religiosidade sem pudor. Na fé, elas buscam forças.

A Cruz - Na década de 80, o costureiro francês Lacroix - significa a cruz -, que hoje desenha para a marca Pucci, relançou a moda eterna das cruzes. Lembro-me bem, pois nesta época morava em Paris e todo mundo usava uma cruz grande no pescoço. Acredito até que era mais para seguir a moda do que por convicção religiosa.

O Amuleto - Significa ajuda. São pequenas figuras, medalhas e moedas que desde a antiguidade alguém guarda por acreditar em seu poder mágico de afastar o mal, as desgraças, de trazer proteção e segurança. Os persas, os egípcios, os assírios tinham amuletos. Existe uma confusão entre religião e superstição, gerada pela falta de conhecimento. Em um mesmo cordão podemos encontrar figas, crucifixos, olho turco e santinhos. É um sincretismo total e absoluto!

Desde sua criação em 2005 o Mercado da Salvação inspirou-se em imagens sacras para desenvolver sua coleção tendo seu foco em camisas de malhas trabalhadas com apliques  , bordados e interferências de corte e rasgos  abusando de detalhes e peças em cetim.  Criou-se um deslocamento desse apego a religião somente em templos ou igrejas partindo para as ruas.

Em vários outros momentos a moda circula por uma ligação com a fé e a religião, temos vários exemplos como a Complexo B hoje com 15 anos, consolidou sua marca e se tornou conhecida por estampar em suas peças, imagens de santos e orixás com o estilista Beto Guedes que afirma que tudo começou com São Jorge e o enfrentamento contra a mesmice, contra o preconceito na moda masculina, o que pode e que não pode ser usado. O São Jorge acabou virando um ícone, por conta da atitude de luta que ele tem. A partir daí, ele virou pop no Rio e junto com ele veio a fé, o acreditar na moda e nas novas possibilidades. Depois, veio Iemanjá e todos os outros santos. E a macumba se deu! E assim trabalhou-se com vários temas como São Cosme, e Damião, Iemanjá, Preto Velho, Pomba Gira, Zé Pelintra. Pomba Gira, São Jorge e Zé Pelintra são os campeões de vendas aqui no Rio. Tem Iansã, Ogum, é uma confusão porque eu não sou entendedor, vou pela intuição e estética. Quando a gente fez a coleção dos orixás, quis falar das influências deles na cultura brasileira. É brincando que ninguém é macumbeiro, mas no fundo tem suas crenças. Algumas pessoas têm preconceito, mas outras adoram. Moda é isso, é tentar colocar algo de novo e atacar. O que fica claro é a camiseta servir como algo além do vestir. Servir como uma proteção, um patuá. Tem um valor agregado.
E assim caminhamos juntos em busca dessa alquimia... 

Desfile Complexo B Fashion Rio




Outros artigos

Busco o retorno a uma Genesis do Mercado da Salvação, focando relamente a uma simbologia espiritual e mística, como peças únicas, indicadas para pessoas que trabalham com a espiritualidade, com a arte , com a música, com a dança, com a intuição, emoção, e buscam assim uma força especial, um escudo, um amuleto para que se tornem verdadeiros integrantes da peça a ser usada, contaminando a todos com grande energia e salvação rs....Enfim, deixando de lado muitas peças que não se adequavam a todo esse universo interessante, o MERCADO DA SALVAÇÃO QUE ESTÁ SEMPRE EM MUTAÇÃO RETORNA COM SUAS PEÇAS EXCLUSIVAS E MISTICAS PARA SAUDAR MAIS UMA ANO NOVO QUE ESTÁ CHEGANDO!!!!! 
CONVIDO A TODOS A EMBARCAREM NESSA LUTA DE SALVAÇÃO DO MUNDO E DO VERDADEIRO SER HUMANO!!!
SALVE JORGE!!

Camisas do Mercado da Salvação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixem aqui suas sugestões, críticas e pedidos!!! Seja um devoto também do Mercado da Salvação...Abraços DaniBrito